Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Cute Panda Life

Be simple. Be original. Be yourself.

My Cute Panda Life

Tendências | Decote em bico

Hi! Hoje venho falar-vos de uma tendência que exprimentei este ano e que nunca pensei gostar. Desde pequena que me pergunto como é que as pessoas conseguem andar com essas camisolas de gola em bico, nunca consegui conpreender, até agora.

No outro dia andei às compras na Lefties e vi que na nova coleção eles têm umas camisolas lindas, que eu simplesmente amei! Eu resolvi ir exprimentar uma, só para ver como ficava o resultado, afinal estou a crescer e exprimentar coisas novas faz todo o sentido, e como ainda não sou maluca o suficiente para rapar o cabelo e ficar com um daqueles cortes radicais, fico por aqui. Experimentei e amei! Levei uma azul-água, e este mês vou lá buscar uma laranja e outra salmão.

Quem mais usa este tipo de camisolas? Alguém que seja fã?

Tag: Responde rápido

Hi! A Maria e a Claúdia nomearam-me para esta tag, e cá estou eu com as minhas respostas, cá vai!

 1- Se uma multidão de pessoas, incluindo tu, estivessem a gritar pela tua celebridade e ela olhasse para ti, o que dizias?

Se a Jennifer Lawrence ou o Josh Hutcherson olhassem para mim eu passava-me completamente e dizia-lhes para continuarem a ser eles próprios.

 

2- Se a tua celebridade passasse por ti na rua, paravas para falar com ela? O que dizias?

Óbvio, se as mesmas duas pessoas que referi acima olhassem para mim eu dizia-lhes que adorava o trabalho deles e que não deixassem que os deitassem abaixo porque eles são ótimos a fazer o que fazem, e que os adoro como as pessoas que demonstram ser.

 

3- Se a tua celebridade estivesse com outra celebridade que tu não conhecesses, também falavas e cumprimentavas a outra?

Sim, nem que fosse apenas por educação, cumprimentava e falava-lhe também.

 

4- Se a tua celebridade (provavelmente um cantor) estivesse no palco e te chamasse, ias ou não? O que fazias?

Se o Shawn Mendes, o Ed Sheeran ou os Coldplay me chamassem eu óbviamente iria, não era uma oportunidade que fosse acontecer todos os dias!

 

5- Qual é o teu top10 de celebridades/pessoas de que gostas muito que queres conhecer?

Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Shawn Mendes, Ed Sheeran, Coldplay, Taylor Lautner, Imagine Dragons, Agir, Joana Ribeiro, SofiaBBeauty, Miguel Luz.

 

6- Já conheceste alguma celebridade?

Sim, eu conheci uma atriz dos Morangos com Açúcar 7, eu não sei como se chama, só sei que era a Clara. Conhecia quando fui a um bar na praia, mas era pequenina por isso não me lembro dela.

 

Nomeio para responder à tag quem quiser, estejam à vontade!

 

1ª distopia

Como contei a minha primeira distopia foi acabada de vez esta semana. Dia 22 de março de 2016 vai ficar marcado por ter acabado de ler todos os livros dos "The Hunger Games" e também os filmes, acabou de vez!

Quanto aos livros, o melhor foi sem dúvida o primeiro porque estamos a falar de como tudo começa, do envolvimento da Katniss com o Peeta, da relação deles, da relação da Katniss com o Distrito 12, com as ideias do Presidente Snow, o que pensa sobre os Jogos da Fome, da relação dela com o Gale, onde a primeira chama surgiu. Quando passamos para o segundo livro vemos uma Katniss, um Peeta, um Gale e uma Prim muito mais crescidos, com mais maturidade, que foram obrigados a crescer devido aos acontecimentos. Vemos um casamento forçado, um caso mal resolvido, esperança, o começo da Revolução nos Distritos, uma fogueira mais ardente e uns vencedores, ou melhor, uns sobrevivente furiosos com as decisões do Capitólio, um plano bem e ao mesmo tempo mal sucedido. Quando começamos o terceiro livro percebemos que os acontecimentos não vão de encontro ao filme, e com isto falo que as duas personagens mais importantes na primeira parte do livro são o Finnick e a Katniss, importância essa que foi descontada ao Finnick. Na segunda parte ficamos a saber os segredos mais obscuros do Capitólio, um Peeta louco, um Gale furioso e uma Katniss mentalmente confusa, com sede de vingança e determinada a acabar com aquele regime, libertar os Distritos e acabar com a vida do implacável e impiedoso Coronolianus Snow. Por fim, vemos um epílogo que na minha opinião podia ter sido muito melhor e mais trabalhado, deu-me a ideia de ter sido tudo feito à pressa.

 

Quanto aos filmes, vemos no primeiro algumas mudanças, sendo que de todos os filmes foi este o mais fiel ao livro, a começar por ser um realizador diferente. Vemos a Katniss nos Jogos, algumas cenas cortadas (compreensível porque exprimem nudez) e vemos também cenas emotivas. Neste filme, eu apaixonei-me imediatamente pelo Peeta Mellark, o nosso padeiro do Distrito 12. Vemos os sentimentos, o instinto da sobrevivência de muitos dos Tributos, além de uma interpretação maravilhosa da Jennifer Lawrence e do Josh Hutcherson. No segundo filme vemos uma rapariga mais triste, um rapaz mais sofrido, cheios de pesadelos e de marcas dos Jogos, além da atuação à frente das câmaras e ao afastamento na vida real. Um plano que poderia ter corrido muito melhor, uma promessa quebrada e uma rapariga permanentemente confusa e furiosa. Na 1ª parte do último filme vemos uma Katniss num estado de loucura, sem o Peeta, sem o eterno apoio e compreensão do Gale, vemos um Finnick como a Katniss, exatamente na mesma posição. Vemos um Peeta completamente desequilibrado, torturado, sofrido, nada saudável e que pensa que a Katniss é um mutante criado pelo Capitólio, quando na verdade ele se tornou na arma. No último dos últimos filmes podemos conhecer uma Katniss determinada a fazer o Snow pagar pelo que fez, um Peeta confuso e em recuperação, um Finnick e uma Annie casados, um Haymitch sóbrio e uma guerra a decorrer. No último filme mais uma vez a Jennifer Lawrence em momento algum me desiludiu, mas verdade seja dita que o Josh se superou! Ao fazer de louco, de lunático, de deprimido, ele esteve tão bem como nunca, melhor atuação de sempre! Até me admira como não foi ele o nomeado ao Óscar, porque seria merecido se ganhasse! Por fim, falando do epílogo, foi um pouco forçado, não vemos como realmente se passaram o resto das coisas, não vou dar spoiler porque pode haver gente que ainda não tenha visto, mas no geral eu não me arrependo nada de ter visto esta distopia.

Só tenho uma coisa a dizer:

 

Ausência

Hi! Bem, eu tenho andado ausente nos últimos dias porque esta semana foi um caos. Eu tenho uns novos projetos em que estou a trabalhar e como o tempo de utilização do computador é curto, só dá para uma coisa, mas eu prometo tentar vir cá mais vezes ou deixar programações, porque fazer posts por telemóvel não é prático.

A minha ausência tem-se devido a que eu ando a escrever uma fic e tenho andado a dispensar-lhe o meu tempo porque está muito no começo ainda, e estou a tentar torná-la mais visível.

Entretanto esta semana acabei a minha primeira distopia e só digo que não me quero esquecer nunca das personagens que não ficaram vivas, nem das que sobreviveram porque me ensinaram muito e porque me ajudaram imenso.

Tenho visto bastantes filmes e lido alguns livros, o que é para admirar. Li também algumas fics e com isto comecei a afastar-me do mundo dos blogs. Mas estou de volta e como fim de semana tenho muito tempo vou tentar fazer mais uns posts.

Além de que tenho muitos reviews e muitas opiniões para dar, portanto, toca a mexer!

 

É dia do pai e eu fiz asneira

Hoje de manhã acordei e fui às redes sociais, era tudo a por fotos com o pai e a desejar um bom dia do pai, mas o que é que eu fiz? Levantei-me, fui tomar o pequeno-almoço, o meu pai foi às compras com a minha avó e eu fiquei em casa a ler e a ver televisão.

Quando eles chegam eu continuo na boa a ler, vou para o meu quarto, tudo na boa. Vamos almoçar e eu não digo nada, até que no telejornal aparece no rodapé que é dia do pai, eu abraço o meu pai e lá lhe dou um feliz dia do pai, mais uma vez voltei a esquecer-me!

A missão não esquecer o dia do pai foi um desastre, assim como o meu 300º post!

 

TPM e Menstruação

Hi! Bem, hoje estive a ver uns videos e resolvi falar sobre este tema. Vi um vídeo da Inês Ribeiro, na rubrica Inês Sincera e resolvi falar da minha experiência, porque creio que este assunto ainda continua a ser um tabú na sociedade, e acho que é algo que se deve falar sem medos, vergonhas ou inseguranças, portanto trago aqui a minha experiência e o meu historial.

Eu sofro deste "pesadelo" desde que fiz 11 anos, era muito novinha, afinal eram 11 anos recém-cumpridos. Não sofri de problemas como a TPM ou mesmo as dores menstruais até fazer 13 anos, provavelmente por não ter tido desenvolvido o suficiente para isso, sim eu confesso, acho que o meu período foi permaturo (não admira nada, já que eu também fui).

Eu quando me apareceu não tinha condições fisiológicas que tenho agora, eu tinha ainda um corpo de criança, não tinha desenvolvimento praticamente nenhum. O certo é que, na altura apareceu-me no pior momento para isso, na casa de uma amiga, que vergonha que tive!

Eu não falava sobre isto com ninguém, era secreto, eu tinha vergonha e não achava normal. No entanto, hoje, com 13 anos eu não sinto constrangimento algum ao falar do assunto. Atualmente eu dou-me com rapazes e todas as minhas amigas ficam surpreendidas de eu falar disso à vontade ainda mais com rapazes.

O que eu mais detesto são as dores, eu tomo imensos comprimidos e nada resulta! Quanto à TPM é engraçado o facto de eu e os meus amigos, entre eles rapazes, estarmos a dar voltas e eu estar de mau humor ou melancólica ou a queixar-me, eles olham para mim e já sabem, dizem logo "TPM?".

Aí estão logo os homens a achar que sabem mais que as mulheres sobre o assunto, não estou a ser femista, estou a ser realista. Dizem que não dói, que estamos a ser mesquinhas, que nos aproveitamos da situação para ficarmos em casa em vez de irmos fazer a nossa rotina, mas eles não sabem o que dói. Eu falto às aulas, dói-me imenso e fico em casa de molho, a minha avó insiste em colocar-me botijas de água na barriga, porque insiste que a água quente ajuda, mas só piora, pelo menos no meu caso.

O Verão é o pior cenário, não podemos usar calções, calças ou saias claras, não podemos ir à praia e todo o cuidado é pouco. Detesto ter de andar sempre com atenção extrema, ainda por cima porque sou demasiado irregular, mas o facto que mais odeio é que fico tão inchada que pareço um balão!

No meio disto tudo, devido ao período eu perco imenso peso, porque tanto me dá para comer, como para não comer muito e ficar somente a chá.

E vocês, qual é a vossa experiência com a menstruação? Como reagiram quando vos apareceu? Peço desculpa se traumatizei alguém que não tenha a menstruação, mas tenham noção que eu usei muitas metáforas e hipérboles enquanto contava os acontecimentos.

 

 

Ei! Não tentes e nem penses em separar o meu pai da minha mãe!

Hi everybody! Este foi um episódio passado hoje de tarde. Estávamos eu e uma amiga minha a ler os "The Hunger Games" (ela a ler o primeiro e, apesar de já ter lido os dois primeiros, estava a rever algumas cenas), quando se volta uma outra e diz assim "Ah, o Peeta é meu futuro marido, eu vou ficar com ele para sempre".

Eu não sei o que me deu, mas voltei-me e respondi-lhe logo "Ei! Nem penses e nem sequer tentes separar o meu pai da minha mãe!". O meu amigo mais próximo começou a rir e eu também, depois disseram-me que nunca na vida eu seria filha deles, o que não corresponde à verdade e eu expliquei que distotópicamente falando, os meus pais são a Katniss Everdeen e o Peeta Mellark. O meu amigo apoiou a minha teoria e completou a lógica de ideias, explicou a toda a gente que eu era a miúda mais revolucionária, impulsiva, filosófica e inconsequente que ele já tinha conhecido, como diz o stor de Geografia, uma mente completamente divergente (longa história).

A partir desse dia no meu grupo de amigos, de vez em quando eles perguntam-me como vão os meus "pais", tenho uma amiga que é a filha do Edward e da Bella, outra que é filha da Tris e do Tobias e eu sou filha da Katniss e do Peeta.

Temos uma família com muita... história, alguns com muita... revolução para dar e vender.

E foi assim que eu enloqueci de vez!

Hi! Hoje venho mais animada que nos últimos dias, apesar de não estar a 100%. O certo é que há uma coisa que eu não vos contei. No outro dia, há precisamente seis dias atrás eu descobri que estava a ficar completamente maluca!

Eu entrei naquele lugar cheio de prateleiras com um montão de livros cheios de pó, com apenas velhotas e alunos a imprimir trabalhos e a ver filmes. Aquela coisa, aquele lugar sinistro chamado... biblioteca.

E isso não é o mais grave (primeira vez que lá ponho os pés desde que o ano letivo começou), o pior foi que eu fui requisitar um livro, e esta segunda-feira já o tinha lido, já tinha requisitado outro e já tinha lido mais de 50 páginas.

Estou a ler os livros dos Hunger Games, o que minimiza a minha dose de loucura, afinal são os Hunger Games malta, estou a saber exatamente o que vai na cabecinha da nossa Rapariga em Chamas.

O que achei do primeiro livro? Muito bom, adorei! O segundo ainda não vou dar um feedback concreto e o terceiro ainda não li.

O certo é que eu sou da opinião que era interessante e essencial haver um livro em que tudo é contado do ponto de vista do Peeta porque eu queria saber o que aconteceu exatamente no Capitólio quando ele foi capturado e torturado.

Quem já leu? Concordam comigo?

Tomei uma decisão

Desde há uns tempos para cá que sonho, em segredo, contituir uma família. Queria ser feliz, casar-me e ter filhos. Mas hoje tomei a decisão mais complicada da minha vida. Eu não vou fazer nada dessas coisas.

Provavelmente eu vou ser solteira para sempre, quem se vai apaixonar por uma pessoa feia, gorda e detestável como eu? Quanto a filhos, a decisão é muito mais dura.

Como já todos sabemos (acho eu), os bebés fazem-se a dois e se nunca encontrar alguém para estar ao meu lado, não é numa noite louca que tudo se resolve. Poderia sempre optar por fabricá-lo em laboratório, mas a questão não é essa.

Eu não quero ter filhos por que não vale a pena. O mundo é demasiado cruel, demasiado injusto e triste. Eu não quero que os meus filhos passem a vida toda a sofrer, não quero que os meus filhos acabem como a mãe. Além do mais, eu tenho a certeza absoluta que vou dar uma mãe horrível, nenhuma criança merecia ter uma mãe como a que eu seria, desequilibrada, detestável e chata, desinteressante.

Estou cansada das minhas colegas de turma dizerem que às vezes ganhamos, e que às vezes perdemos, porque ao contrário delas, eu estou sempre a perder tudo!

Sinto-me mal, sinto-me triste, tenho vontade de chorar, admito isso, mas não quero chegar a esse ponto porque sinto-me fraca, eu estou a falar disto e ao escrever isto tenho vergonha, sinto-me dramática, exagerada, depressiva e fraca.

 

I understood who is really the real friend

Hi! Bem, hoje foi um dos piores dias da minha vida, de manhã deparei-me com uma situação triste, para mim. Fiz de conta que não era comigo, dei os parabéns e fui embora. De tarde a minha stora de EV foi mesmo estúpida para mim.

Eu não sei se contei, mas tenho pavor de formigas porque um dia levantei-me e tinha um montão delas a subir-me pelas pernas. O certo é que, o meu colega do lado de empréstimo sabe disso, e havia um formiga mais à frente. Ele levantou-se de propósito só para a trazer para a minha beira, pedi-lhe por favor para tirar a formiga da minha beira e ele cada vez mais a chegava a mim, até que comecei a falar mais alto e a dizer para ele a tirar dali.

A stora o que é que fez perante isto? Mandou-me arrumar as coisas e ir lá para frente, como se tivesse sido eu a culpada, ele estava lá por empréstimo, ele foi o culpado, e eu é que tive de sair! Lá lhe fiz a vontade depois de ter reclamado e protestado (com a razão do meu lado), no final da aula tocou, peguei na minha mochila e na minha mala e saí imediatamente da sala o mais rápido que conseguia, e o meu amigo (o único que tenho dentro na escola e que está lá para tudo) veio a correr atrás de mim e tentou fazer-me sorrir.

Foi o pior dia da minha vida, ou pelo menos um dos piores, preferia ter ficado sozinha no meio do mato outra vez, perder-me de vez.

Pág. 1/2

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D