Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Cute Panda Life

Be simple. Be original. Be yourself.

My Cute Panda Life

Tag | Irmandade das Bloggers

Olá!

Bem gente, trago aqui mais uma tag. Desta vez fui nomeada pela Sofia, e devo agradecer a nomeação porque se não fosse por ela, hoje talvez não houvesse post!

Mas bem, esta tag, originalmente chama-se "Irmandade das blogueiras", mas eu resolvi mudar porque prefiro o outro termo e pronto gente, alteraçãozita que não magoa sentimentos (espero eu). Consiste em responder às 10 perguntas que a pessoa que vos nomeia deixou no fim da tag. Por isso, preparem-se para o desastre que vai acontecer lá em baixo.

 

1- Como te imaginas daqui a 10 anos?

Bem, daqui a 10 anos este ser humano vai ter 25 anos. Espero ter feito uma boa escolha que me levou a estar bem na vida, espero ter conhecido alguém interessante, e se ainda não tive filhos, estar grávida. Porque eu não quero ser cota quando eles tiverem 18 e por aí! Talvez tenha feito muita coisa, mas espero estar a trabalhar em algo que goste.

 

2- Preferes a cidade ou o campo?

É assim, toda a gente sabe que eu sou metade menina da cidade, metade menina do campo. Se me perguntarem onde prefiro passar uma parte das férias, digo no campo (porque ficar lá muito tempo ia deixar-me em maluca, a bater com a cabeça nas paredes e levar as pessoas a achar que tenho que ser internada no Magalhães Lemos). Se me perguntarem para viver e passar a restante parte das férias, a cidade é um amor para mim.

 

3- Se só tivesses 1 semana de vida o que farias? 

Aproveitava para fazer as coiss que nunca fiz e estou a morrer para fazer.

 

4- Já aprendeste alguma lição de vida em alguma série que tenhas assistido?

Ui, a toda a hora. As séries estão sempre a ensinar-me coisas novas e ainda bem que é assim, porque ao menos posso argumentar que são úteis na minha vida.

 

5- Tens alguma meta a cumprir para 2017?

Sinceramente, isso é meio que uma incógnita para mim, eu tenho sempre muitas metas inalcançáveis por isso devo conseguir desencantar alguma, mas daquelas que estão mesmo ao meu alcance, não tenho nada, penso eu.

 

6- Qual é o teu maior medo?

Eu tenho medo de muuuuiiiiiitaaaa coisa, mas talvez seja repetir os erros que cometeram comigo e que me magoaram.

 

7- Quais são as tuas maiores inspirações?

As minhas maiores inspirações são a música e o Pinterest.

 

8- Qual é o teu destino de férias favorito?

Itália, apesar de nunca lá ter estado, se correr tudo bem, no próximo ano... Não digo nada! Não quero dar azar!

 

9- Preferes filmes de terror ou comédia?

Mil vezes comédia! Terror faz-me gritar, e chorar, e eu não aguento!

 

10- Já tiveste que tomar alguma decisão difícil?

Muitas decisões difíceis, a última talvez tenha sido fazer frente às imposições e seguir o caminho que quero seguir.

 

Bem, estas foram as minhas respostas. Agora, chegou a hora de tentar fazer perguntas relativamente interessantes. Minha gente, preparem-se que não vai sair daqui grande espingarda!

 

1- Qual foi o melhor momento da tua vida até agora?

2- Gostavas de criar a tua linha de roupa?

3- Qual a tua altura favorita do ano?

4- Qual a tua festividade favorita do ano?

5- Como vês a vida?

6- O que pensas da comunidade vegan?

7- Qual o teu assunto favorito para se establecer uma conversa?

8- Se pudesses acordar na dimensão de uma série de que gostes, em qual acordarias?

9- O que esperas do futuro?

10- O que mais te irrita no mundo?

 

Eu dei o meu melhor, muito filosófico, estúpido, intrometido, chamem-lhe o que quiserem! Mas bem, era necessário fazer perguntas e foram as primeiras que me surgiram.

Nomeio para responder a esta tag a Hikarry, a -B e Daniela

Tenham uma continuação de um excelente dia e nunca se esqueçam de serem a melhor versão de vocês.

Be simple. Be original. Be yourself.

Love you 'till the moon and back!

Bye guys!

Olha, a novela é verdade!

Acreditam-se que eu, na minha lerdeza máxima, só 7 meses depois da estreia é que percebi que a novela da TVI era inspirada em factos verídicos? O Ouro Verde tem uma parte verdadeira e eu só reparei hoje quando os meus pais me explicaram.

O BBFF corresponde ao BES, os Ferreira da Fonseca representam os Salgado, tudo faz todo o sentido agora!

"Isto não é tirar o Joaquim e pôr o Manél"

Olá!

Posso dizer que na minha vida concordei com algo com que o Jorge Jesus disse, no entanto, não nas mesmas situações.

Quando as pessoas sabem que gosto de escrever dizem que eu devo partilhar para ser descoberta e ser famosa, eu digo que escrevo as minhas coisas, eles dizem que não percebem porque não sou famosa.

As pessoas devem achar que isto é trigo limpo farinha amparo (ou lá como se diz), mas não é. Isto é preciso ter dinâmica e ter sorte, muita gente fantástica está por aí com o seu talento no anonimato. Ninguém é famoso assim do nada e eu canso-me que me tratem como ignorante por não ser conhecida, não sou ignorante, pelo contrário. Não escrevo para ser famosa, escrevo porque gosto. Nem tudo é fama ou dinheiro.

Bem, desabafo bem básico, mas precisava de sair cá para fora.

 

To The Bone | Não é glamorizar, é ultrapassar

Não, isto não é apenas uma opinião acerca de um filme qualquer. Desta vez é um post sério sobre um filme sério, cujo conteúdo é igualmente sério e pode ser traumatizante para certas pessoas mais sensíveis. Quando digo traumatizante, não se trata de simplesmente ficar enojado(a) ou ter vontade de virar a cara para o lado eventualmente, mas sim de abater tanto alguém ao ponto de termos um ataque de pânico.

Com todos os avisos feitos na introdução, posso apresentar-vos o mais novo filme da Netflix, "To The Bone". Após o sucesso da série viral, "13 Reasons Why", a empresa decidiu investir num filme auto-biográfico, escrito e dirigido por Marti Noxon, que reconta algumas das suas próprias vivências durante o demorado e doloroso processo pelo qual passou para superar um distúrbio alimentar, a anorexia.

A história tem como protagonista Lily Collins, no papel de Ellen, que é uma jovem de 20 anos que sofre de uma anorexia agressiva. Após vários internamentos dos quais saía mais magra que quando havia entrado, Ellen vai a um médico pouco convencional que a interna, não num hospital, mas numa casa com outros adolescentes cujos problemas são também, os distúrbios alimentares.

Muitos críticos pelo mundo fora preocupam-se com o facto de este filme glamorizar este problema e que este integre o conceito de "Thinspiration", fazendo com que adolescentes a assistir o filme comecem a exercer prática não saudáveis como as que Ellen exercia.

Na minha opinião, este filme não glamoriza de todo os distúrbios alimentares, bem como não glamoriza a depressão que podemos observar com grande destaque no início do filme perante a atitude de Ellen quanto à sua vida. Penso que a intenção inicial de Martin foi bem conseguida. Apesar de toda a negatividade da situação, a mensagem foi bem passada. Para quem sofre deste mal que mata, há sempre volta a dar, o processo não será fácil, no entanto, quando se ultrapassa este pesadelo, há uma vida lá fora para ser vivida! Quem não passa por estes males, após o filme certamente não quererá passar pela situação. Faz com que todos percebamos que, quilogramas não são as únicas que perdemos no processo e que não nos estamos a matar apenas a nós próprios, como a todos aqueles que nos rodeiam e que assistem à possibilidade da nossa morte eminente.

Existe um lado positivo de tudo, especialmente dentro da casa, onde isso é evidenciado. Como disse uma das personagens do filme, "Nós não estamos doentes, pessoas doentes estão no hospital, nós estamos aqui para ultrapassar esta coisa".

Não posso deixar de destacar o incrível desempenho da atriz principal do filme, Lily Collins, que fez uma completa transformação do seu corpo, sem lhe ser pedido, para o papel principal. A atriz emagreceu imenso com o acompanhamento de uma nutricionista e como a própria referiu numa entrevista, para além de ser uma atriz e ter que se adaptar a uma personagem, ela própria teve problemas com a alimentação enquanto adolescente e quis fazer justiça, não só a ela, não só à escritora, mas a toda a gente que passa por isto, sejam mulheres ou homens. Para além disso, a atuação dela foi incrível.

Recomendo a pessoas fortes que assistam de mente aberta, que não se limitem a ser críticos e escrever o que pensam apenas pelo trailler, porque afinal, o que viram foram dois minutos de duas horas.

 

 

Movie Review | Baywatch: Marés Vivas

Olá!

Hoje fui ao cinema ver o tão falado filme que é a sequela de uma série dos anos 90, apanhando o fim dos anos 80 e o início dos 00's. Eu nunca vi a série, mas pretendo fazê-lo de forma a compará-la com o filme.

O que é Baywatch? Um filme de comédia no qual aparecem em grande destaque mulheres com fatos de banho vermelhos, extremamente cavados e decotados (Alexandra Daddario, Kelly Rohrbarch e Priyanka Chopra), dois homens popularmente sexy mostrando os seus abdominais definidos e bem trabalhados (Dwayne "The Rock" Johnson e Zac Efron) e o típico génio da informática sem autoconfiança, nem uma aparência deslumbrante (Seth Gordon) a correr em câmara lenta como se do nada nos fôssemos todos babar por eles.

O filme começa com o tão famoso Mitch a vigiar a praia onde todos os veneram e o têm como o "Super-Homem" que salva sempre o dia. No meio desse charme todo, ele depara-se com droga a dar à costa, e como tal, um novo problema a ter que ser resolvido.

No entanto, os seus problemas não se resumem a desmontar esta rede de tráfico, mas em ter que lidar com um novo companheiro de equipa, o jovem Campeão Olímpico, Matt Brody.

Durante o filme existem todo o tipo de momentos de diversão, mas também de intriga. Claro que, não podemos deixar passar em branco a participação especial de Pamela Anderson e David Hasselhoff, CJ e Mitch na tão estimada série.

Achei que foi um filme divertido, suave e fácil de ver. Conta com algumas cenas obscenas, não posso mentir, mas nada de muito excessivo. 

Muitos fãs da séries podem não gostar desta adaptação, mas como eu nunca a vi, não consigo dizer se segue a verdadeira essência de Baywatch, ou se foi simplesmente uma tentativa falhada de fazer uma adaptação engraçadíssima que se tornou inapropriada.

Recomendo o filme, se quiserem rir-se um pouco e entreterem-se da tão aborrecida realidade que a vida pode assumir.

 

 

 

Emigrantes tiram-me do sério

Atenção, não são todos eles, mas sim uma parte. Vocês devem perguntar-me a razão pela qual eles me tiram do sério, e é bem simples. 

Em primeiro lugar, eles vão para lá fazer os trabalhos que se recusam a fazer aqui, mas pronto, vamos ignorar esse facto. Sabem como é, o que não é "digno" em Portugal, é de grande dignidade no estrangeiro.

Em segundo lugar, um grupo de emigrantes mostra vergonha em ser português, quase como se nós fossemos o povo mais grutesco e ignorante do mundo. Mas este aqui, não se passa com toda a gente, porque há aqueles que têm um grande orgulho da nação da qual fazem parte.

Em terceiro lugar, e esta é aquela razão que faz com que eles me tirem do sério é chegarem aqui e pensarem que, como estão lá fora, sabem mais que quem ficou. Sim, porque isto acontece. Falam para nós como se só eles soubessem, e quando vamos a ver, dizem coisas erradas que nos fazem concluir que nós conseguimos saber mais que eles, que vivem nesse país. Mas ainda mais irritante, são aqueles que vivem noutros países, não têm contacto com Leis portuguesas, chegam cá em Agosto como se fossem os donos de mundo a teimar que é da forma que eles dizem, nós avisamos, eles teimam e fazem à maneira deles, e quando são apanhados pela polícia culpam-nos a nós por não termos avisado, atirando-nos à cara que agora vão ter que pagar uma multa por nossa causa.

Eu não sei se estes episódios já alguma vez aconteceram com vocês, mas comigo é ao mato e eu detesto essa atitude. É como eu digo, é daquelas coisas que me tira do sério de uma forma incontrolável!

 

Adoro este tempo

Olá!

Como já referi anteriormente, eu detesto o verão assim de coração. Gosto de temperaturas mais altas, mas não tão altas, gosto de sol, mas não gosto de virar um frango assado.

Eu não sei como está aí desse lado, mas eu, no meu querido Porto maravilhoso estou rodeada de nuvens cinzentas que ameaçam libertar várias gotículas de água. Estas estão acompanhadas de uma temperatura mais baixa e uma brisa fresquinha.

No meio disto tudo, só tenho a dizer que adoro este tempo.

Tag | Isso ou Aquilo

Ora bem, já sabem como eu sou, uma viciada em tags compulsiva, por isso, quando me nomeiam para alguma, é logo a alimentar este vício!

Então, a Claudia nomeou-me para fazer esta tag que eu tenho visto muita gente fazer, mas nunca fiz. Agradeço muito a nomeação e cá vamos nós!

 

 É assim, eu não tenho muito jeito para desenhar, apenas fiz um desenho bom na vida, logo vou excluir essa. Ainda assim não tenho um Bullet, mas assim, preferia organizar os meus dias num Bullet.

 

 É assim, eu não tenho We Heart It (não me culpem, é um milagre eu saber que existe), e para ser honesta não sei qual o conteúdo (já sei que quando acabar isto vou criar só para dizer que tenho e perceber qual o conceito). O Pinterest e eu tivemos uma longa relação, quando o criei não percebia para que servia, então vocês perguntam "Porque é que criaste?" e eu respondo "Tive receio de perder a licença para ser blogger, afinal quase toda a gente tem!". No entanto, há uns meses para cá finalmente entendi a utilidade do Pinterest e apaixonei-me completamente. Portanto, acho que a minha resposta é bem óbvia (é o Pinterest, só para o caso de não terem percebido).

 

 Tenho sentimentos divididos quanto a estas fotos. Apesar de o primeiro look ter calções e estes casacos muito giros, eu não uso crop tops. Por outro lado, apesar de as jardineiras de calças não serem as minhas besties, são melhores que o problema do look anterior, além do mais a sweat é muito fofa. Por isso, fico-me pelo segundo look.

 

 E agora temos um problema. É assim, o batido é muito mais saudável e acreditem que eu o escolhia, mas o problema é que eu só gosto mesmo é da fruta, porque eu não gosto de batidos. Sim, eu não consigo lidar com batidos, eu tento, mas não dá! Apesar de a mousse de Oreo ser mais calórica e um pouco enjoativa, acho que a preferia de que um bom vómito com sabor a morango (o vómito não é o batido, é aquele que eu iria libertar e que saberia a morango azedo).

 

 Já tive ténis da Nike, mas da Adidas nunca tive. Neste momento estou a juntar para uns Gazelle, mas não sei. Como não posso comparar os confortos, vou pela beleza, por esse prisma eu escolho Adidas (apesar de tudo, eu sou uma fã da Converse, posso não ter sapatos da marca mesmo, mas tenho ténis inspirados neles).

 

 Mil vezes treinar. Prefiro bolir ali no duro, que ir correr ao ar livre, porque convenhamos, correr não é propriamente a coisa que mais adoro fazer, além de que me canso mais depressa e perco facilmente o controlo da respiração, o que acontece mais lentamente nos meus treinos intensivos.

 

 Eu não sei quem nomear, mas vá, nomeio a Hikarry, a Concha e a Line.

Espero que tenham gostado da tag, claro que quem quiser responder e não foi nomeado, pode sentir-se à vontade para o fazer.

Aproveitem o vosso verão.

Be simple. Be orignal. Be yourself.

Bye guys!

Love you 'till the moon and back!

Shadowhunters | As minhas músicas favoritas

Olá!

Hoje resolvi trazer-vos um post de que me lembrei graças a Shadowhunters. Eu falo muito sobre música, mas acabo sempre por deixar aquela música nada conhecida das séries de lado. Muitas vezes, as séries têm as melhores bandas sonoras de sempre e eu acabo por ignorar muito.

Por isso, neste post vou-vos mostrar as minhas músicas favoritas desta série que eu amo de coração, e que na minha opinião, tem das melhores bandas sonoras de sempre.

 

 Começo logo com uma do capítulo de ontem, o 02x16. Para quem não sabia e é fã de Bastille, sim, a música deles aparece nesta série. No último episódio aparece quando o Simon está meio morto deitado a lamentar-se pela vida, e a Maya o procura.

 

 Esta música foi uma surpresa para mim. O Alberto Resende (ator que interpreta o Simon) também sabe cantar! Esta é a música que o Simon compôs para o Mundo à Parte (Downworld) e que toca no Hunter's Moon, no final do 02x13.

 

 Começo a adorar esta música desde o seu início. O instrumental lembra-me aqueles templos chineses de retiro espiritual, mas também me lembra bambús (isto já deve ser pelo facto de eu ser um Panda preso no corpo de uma adolescente de 15 anos completamente fangirl). Esta música toca no 02x12, quando a Clary e o Jace treinam um com outro na presença da Imogen, a diretora do Instituto.

 

 Esta música tem uma letra tão bonita... Posso até dizer que tenho uma parte favorita: "We are burried in broken dreams". É tocada no 02x14 na parte final da visita ao Seelie Court, e se para muitos foi uma cena feliz... para mim foi triste. Claro que fiquei contente com a imagem que se vê antes de abrir o vídeo, mas leva a outras consequências que me deixam imensamente triste e despedaçada. Não vou dizer muito, caso ainda não tenham visto, mas posso dizer que fiquei de coração partido.

 

 Esta música é conhecida por aparecer no filme "Me Before You", mas também aparece na cena mais triste do 02x05, da segunda temporada, quem sabe, da série toda. É tocada num rito fúnebre, posso dizer que chorei um pouco nesta cena, visto que a música se aplicava à tristeza e agonia sentida na sala. Além do mais, a atuação dos atores foi impecável, conseguiram passar os sentimentos na perfeição, desde a tristeza, à desolação, à culpa.

 

 Mais uma música triste que reflete bem uma cena maravilhosa. É um adeus dado por uma das personagens a um dos seus ente-queridos, se quiserem saber mais, é do 01x08.

 

 E claro que não podia faltar a música maravilhosa que abre cada episódio. Eu acho que se aplica mesmo e que é demais (confesso que é um bocadinho creepy, but I love it anyways kkkk).

 

E bem, foi isto. Talvez vá fazer o mesmo com outras séries que tenha andado a ver e que vejo. Só para lembrar que Teen Wolf vai recomeçar dia 30 de julho, vão haver muitas mais músicas novas...

 

 

Pág. 1/3

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D