Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

#14 Sweet 14: Acabou aqui!

Hi people! Como vocês bem sabem, eu não sou daquelas pessoas que quer saber mesmo do que os outros pensam, é claro que me importo em certos casos, mas na generalidade sou mais descontraída que isso.

Como também já contei, eu estou com uns problemas de saúde não identificados, e por vezes, isso acaba por se revelar involuntáriamente. Hoje, apesar de ter tomado uns comprimidos (e de ter dormido muito bem, mas isso já é um aparte), continuei com algumas dores, no entanto, tentei não ligar muito a isso.

Apesar de ter tido esse cuidado redobrado, em História tive um dor forte e queixei-me silenciosamente com o intuito de os elementos do grupo com quem estou a trabalhar não dessem por nada e não fizessem drama, mas falhei com sucesso essa "missão". Começou toda a gente a fazer alarido, e finalmente chegaram ao assunto que eu mais detesto, a minha "gravidez". Eu estou cansada disto, constantemente bocas, e finalmente rebentei e avisei que eu não ia tolerar mais o que se andava a passar, e que se fosse assim, eu retribuíria e elas detestariam. Há coisas que não se fazem, e compreendi finalmente que elas não são mesmo minhas amigas, caso contrário, não se punham com estas acusações. Eu estou doente, e elas riem e gozam, se fosse com elas, tínhamos o caldo entornado!

 Lição de hoje: Existe um início, um meio e nesse meio existe coisas boas e más, mas há que haver tolerância, e depois existe um fim, que surge quando a tolerância se esgota.

Dica de hoje: Whatever.

E estas músicas estão a dizer tudo neste momento

Hi! Há músicas a dizer tudo neste momento, o meu estado de espírito, tudo.

 

 Estas músicas não falam apenas de pessoas que são especiais para mim e que eu perdi, mas também de mim própria.

A segunda música é um caso ainda mais extremo, eu estou a perder a minha memória, o meu espírito crítico, já fui considerada louca. Quando deixamos de ter espírito crítico, passamos a estar loucos, o meu espírito crítico é mínimo, isto em comparação ao passado.

Eu estou a esquecer-me do que fui, dos meus princípios e de quem sou. Estou a passar de um ser manipulador (apenas em situações em que não houvesse escolha), com um sorriso sincero e uns olhos brilhantes a um ser detestável e depressivo, completamente manipulável, um verdadeiro fantoche.

Isto é uma guerra que ainda mal começou e eu só quero que acabe o mais rápido possível. Não aguento, querem que conduza as coisas, que seja quase uma frente no meio disto tudo, psicológicamente isso é torturante e massacrante, eu acabo por aceitar e agora fazem tudo à minha revelia. Eu pensei que estivessem a fazer isto não só por mim, mas para o bem de todos, mas não é verdade. Eles são todos iguais à oposição, só querem saber deles próprios, vão acabar a fazer o mesmo! Não fazem o que lhes peço, formam um esquadrão e quando eu mexo uma palha eles criticam tudo, querem que eu seja uma espécie de fantoche no espetáculo deles. Cometeram um erro, eu não sei se eles sabem, mas já deveriam. Eu não sou domável e não gosto de fazer figura de parva!

 

#17 British Girl in School: O quê?! És um idiota!

Hi everybody! Mais um dia passou, já o posso cortar do calendário, ou então não, apesar de hoje faltar ao treino vou à Matemática.

come back.jpg

 Hoje o meu tio foi levar-me ao colégio e cheguei mesmo em cima da hora, ainda por cima ia ter teste a seguir! Bem, eu cheguei e de repente o Felipe e a Bárbara olharam para mim com um sorriso no mínimo... suspeito ou como se tivessem algo a dizer.

Eu lá cheguei à beira deles e quando me disseram o que o Felipe tinha feito, eu juro que fiquei doente. Não é que o Felipe hoje de manhã voltou-se para o Guilherme e disse-lhe "Olha, a Riley ainda não chegou!" e o resto não percebi bem, mas o que sim sei foi que ainda teve a lata de lhe dizer que eu queria namorar com ele!

Quando ele me disse isso levou umas caneladas, uns pontapés e umas chapadas e eu estava ver que tinha de vir um amigo nosso separar-me dele porque eu não parava, e esse era dos únicos a poder parar a situação, primeiro porque tinha força, segundo porque é muito maior e por isso não havia muitas chances de eu me escapar.

Bem, eu já fiz as pazes com ele, mas tenho noção que ele não vai parar até eu e o Guilherme começarmos a andar, e depois vai ser outro que é namorado das amigas dele a ignorá-lo nos intervalos e a ignorar-lhe as mensagens de chat! Se bem que eu e o Guilherme nunca vamos começar a andar, pelo menos acho eu!

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D