Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Sim, tenho origens alentejanas e então? Fiquem sabendo que me orgulho!

Hoje em geografia falamos de culturas e diferenças. Algo que me chamou a atenção foi o facto de dizerem mal das minhas origens! Sim, eu tenho origens alentejana! E orgulho-me de dizer isso!

É verdade, no Alentejo pouca população tem alta escolarização, mas isso não equivale a que eu seja culta e informada, porque sou, muito mais que eles! É verdade, eu não sou tão branca como eles, tenho a pele mais escura, sou mais morena! É verdade eu falo co um sotaque diferente, mas querem que faça o quê? Eu nem queria que isso fosse diferente, gosto da minha fala, do meu vocabulário, da minha cor de pele, sou diferente!

Sabem o que vos digo? Faço parte da família mais importante, quase que a família mais antiga daquela aldeia. O meu bisavô foi o homem que trouxe água canalizada, luz e eletrecidade àquela aldeia. O meu bisavô era tratado respeituosamente por todos como "Mestre" e ainda hoje, aquelas pessoas têm um respeito à minha família admirável, nomeadamente ao meu avô, que também é conhecido como "Mestre". Eles podiam ser analfabetos, mas construíram uma aldeia quase pela raiz e trouxeram "civilização" àquela terra, é admirável! Eles sabem muito mais que nós, que podemos ser licenciados e ter aqueles diplomas todos, foi a eles que a vida lhes custou mais, e que por consequência lhes ensinou a viver também! Eles tinham pouco, mas sobreviveram e deixaram história.

Eu tenho orgulho de dizer quem sou, e vou ter sempre independentemente do que os outros digam!

#3 Sweet 14: As falinhas mansas

Hi people! Cá trago mais uma lição de vida, mais um dica e mais um história que vos pode ajudar.

Aqui há uns tempos estive numa situação delicada, um triângulo amoroso constituído por mim, pela minha rival e pelo atual ex-namorado dela. O certo é que na altura eu era muito diferente, mas é como eu costumo dizer, há sempre aquele primeiro amor (amor pode ser um sentido de amizade) que te destrói e há sempre o primeiro amor que te reconstrói. Neste cenário, tivemos a presença da primeira.

Hoje, ele teve de vir para a minha beira na aula (ele fica muitas vezes ao meu lado, mas cada vez mais mudam os lugares e eu já quase nem fico com ele) e como a amiguinha dele não estava ele veio todo sociável para mim "Olá Isa!" todo sorridente e contente, começou as falinhas mansas, mas coitadinho eu na caí na lábia dele, e quando percebeu que eu já caía mais nos "encantos" (que agora me dão nauseas) dele, começou a arreliar-me.

Começou a gozar com as minhas origens, reapareceu com o assunto da minha suposta gravidez e tudo mais, eu estava a controlar-me para não lhe pregar uma quantidade de estalos bem dada e bastante razoável também. Eu não aguento mais isto, não tenho de aturar isto, o meu maior sonho era que a minha turma mudasse!

 Lição de hoje: Não cedas a falinhas mansas e controla-te para não rebentares

Dica de hoje: Pensa no que o teu amigo que é a reencarnação viva do Pessoa faria, ou é melhor não, ele teria mesma reação que tu! Pensa antes na tua amiga doce, ajudar-te-á!

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D