Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Já tinha saudades disto!

Hoje estou como no início do ano, descansada, com uns calções brancos da Primark, t-shirt verde com a frase "It's the journey not the destination" da Tiffosi, as minhas all-star em ganga, com o colar da pérola da família, com a pulseira com mais significado que me deram na vida e com o meu cabelo castanho escuro, solto, um pouco (nem um dedo) abaixo da clavícula, liso e na presença da minha risca ao lado. 

Estou sentada no meu grande sofá preto com almofadas brancas e cinzentas para fazer o contraste, desta vez estou sentada mesmo no meio com o computador rosa no colo, não quero estragar a bonita arrumação do local, nem um bocadinho de pó é visível, normalmente não me costumo preocupar muito, mas aprecio ver a sala (que está muitas vezes uma autêntica bagunça por culpa da publicidade que o meu pai deixa espalhada pelo sofá ou pelo chão e pelos brinquedos que a minha irmã deixa por todo lado. A minha mãe tenta a todo o custo livrar-se da "papelada", diz que já está a começar a desistir porque se está a conformar de que nunca vai ter uma sala sem papéis. Ela tenta livrar-se dos brinquedos da minha irmã, mas parece impossível, já que o raio da miúda traz os brinquedos todos de volta para a sala e nunca os arruma (isso já me rendeu uma belas quedas).

Para ser franca, desde que me bloquearam o acesso ilimitado ao computador, eu nunca mais na vida voltei a vir para a sala durante muito tempo. Estou sozinha aqui, gosto disso, as janelas estão abertas, e como tal as cortinas beje de um tecido meio grosso deslizam pelo chão, ora puxadas pelo vento, ora empurradas por ele. 

Tinha saudades de estar na minha sala depois de tomar o meu pequeno-almoço de férias (três colheres de cereais integrais com iogurte líquido, geralmente de morango, mas posso variar os sabores como me apetece), nada de correrias, sem preparar a mochila (livros, para que vos quero? Cadernos para que vos levo?), tudo a seu ritmo. Pensei até em ir ver a "Dancin' Days" (já não vejo novelas há séculos), mas também deu-me preguiça de interagir pela primeira vez com os serviços da televisão da Vodafone.

No entanto está tudo perfeito, eu, sozinha, aqui sentada e a escrever este post, adoro a sensação de saber que não tenho ninguém por perto, gosto de ter a breve e falsa sensação de ser independente e viver sozinha.

Toda esta coisa só para dizer apenas sete, simples palavras: já tinha saudades da minha velha rotina!

 

Eu ando desaparecida

É, eu sei, ando desaparecida há cerca de duas semanas, tive os meus motivos antes demais.

Não fiquei de castigo (há desculpas muito random, esta é uma delas, não digo que em muitos casos não seja verdade, mas em muitos casos é também uma desculpa), não tive muitos testes, até porque fui dispensada de quase todos, só tive global de Português (que conta como exame) e vou ter global de Matemática amanhã (que também conta como exame).

Eu andei desaparecida porque sinceramente, não me apeteceu vir aqui, é a mais pura verdade, não quis, não me apeteceu! Mas como eu também não posso ser assim tão egoísta, portanto, dou-vos outra explicação.

Eu não quis vir aqui porque não tenho andado muito bem, tenho tido uns problemas pessoais, que por serem pessoais, não vou de forma alguma revelar a quem está a ler isto (exceto tu, que se estiveres a ler isto, já sabes de que se trata).

Não quis escrever porque não me sentia bem comigo mesma, e agora vocês perguntam-me "Pois, quando eras a Riley não tinhas problemas?", mas aí está, quando eu era a Riley eu não era a Bella, a Riley era a minha versão divertida, descontraída e que não queria saber dos outros para nada, como deu para perceber ela própria dizia "O meu futuro sou eu que o escolho, podem falar com quem quiserem, podem-me obrigar a fazer o que quiserem, mas enquanto eu ainda for eu, a última palavra, vai ser sempre MINHA". A Riley era a minha gémea, o meu escape, eu era a Riley e era feliz, corria riscos, sentia adrenalina, mesmo com os problemas todos eu ainda tinha a quem recorrer para me animar, mas agora não.

Eu tenho andado com uma nuvem negra em cima de mim nas últimas semanas, mas agora estou a resolver isso, e aviso que se estiver ausente, não quero andar a receber comentários desagradáveis porque não ando a postar (isso não aconteceu, mas só estou a avisar, para ninguém se por a pensar em fazê-lo), porque caso isso acontecer, eu largo a Bella e viro Riley, a rapariga britânica que não quer saber e não tem minimamente cuidado nenhum em responder.

Peço desculpa se fui bruta nalgum momento (provavelmente o post todo), mas como eu disse, é grave. Espero que compreendam a minha situação e que não me cobrem nada :)

 

 

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D