Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lisbon | Road Trip

Hi guys! Ontem fui numa visita de estudo com os meus amigos, fomos a Lisboa. Esta foi a primeira vez que eu realmente conheci Lisboa, não que conheça muito de Lisboa, mas eu nunca paro e desta vez tive tempo para isso.

O meu dia começou, quando às 05:30 da manhã a minha mãe me chamou para me arranjar, assim o fiz, tomei o meu pequeno-almoço, sendo que substituí o meu leite com cereais integrais por duas torradas com creme vegetal e um chá, já que umas longas 3 horas de viagem me esperavam.

Mal cheguei à escola fui ter com os meus amigos, ficamos a conversar e fomos para o autocarro, e como somos uma turma em que palhaçada é essencial, começamos logo a partida, às 06:45 com música aos altos berros, a falar, a tirar fotos e a rir! Inglês, francês, português, espanhol e até mesmo línguas desconhecidas foram cantadas...

Chegamos a Lisboa às 10:30 devido ao trânsito que apanhamos à entrada da cidade e também porque fizemos uma paragem pelo meio. Foi então que fomos ao tão mágico lugar onde tudo acontece, a Assembleia da República. Segurança feita de todas as formas, detetor de metais, tudo direitinho. Estivemos a visitar o átrio todo, até que fomos ao lugar que toda a gente reconhece como a sala das decisões. Eu, Isabela Oliveira estive sentada na primeira fila naquela sala, por uma questão de minutos eu fui uma deputada do PSD e não podia ter sido mais incrível.

Obviamente, este foi o momento alto da manhã, qual foi o da tarde? O momento em que fomos almoçar, que veio a seguir ao longo discurso de uma professora de Geografia cuja existência era desconhecida por mim, mas que cuja minha existência também não era do conhecimento dela. Mal o autocarro foi estacionado e a mulher com voz repetitiva e chata parou de falar, fomos para um jardim perto de Belém muito bonito. 

Sentamo-nos todos na relva e fizemos o piquenique da turma, entretanto havia lá um parque, então fomos para lá brincar um pouco, soube bem voltar a ser criancinha e divertir-me um pouco a andar de escorrega e a subir a barras. Obviamente eu ainda tive que comer o meu Corneto e sujar a minha boca, mas pronto, há coisas que nunca vão mudar.

Da parte da tarde fui ao Pavilhão do Conhecimento, o que foi bastante engraçado, eu adorei andar naquela bicicleta voadora, mas não quero mais bicicletas nos próximos anos! Entretanto voltamos para casa com mais barulho, jogando Verdade ou Consequência e a cantar e a berrar, enquanto sempre nos mandaram calar, nada mais divertido!

Resumindo e concluindo, não há nada que eu mais tenha amado, foi a melhor viagem da escola de sempre!

Oh little girl...

Para onde foi o teu sorriso? Para onde está aquela força, aquela energia, aquela paixão? 

Não sabes de que falo? Falo disto:

 Como é que conseguiste passar disto para isto?

 É complicado... Há sempre alguém que te compara, que te deita abaixo, que te põe numa sombra, não é? Tu ficas triste, sozinha, a tua autoestima morre e ficas simplesmente num estado de depressão.

Mas acredita, pior que teres pessoas a tratarem-te mal é quando aqueles que te viram pela primeira vez no instante que nasceste te façam isso. Eu nunca vou ser feliz assim, tu quiseste assim e agora vais ter o que mereces. Eu sou burra. Eu sou estúpida. Eu sou uma insegura. Sou uma ressabiada. Eu até posso ser isso, ou simplesmente tu podes fazer-me acreditar que sou essas coisas todas e muitas mais, mas não esperes que eu fique feliz, porque o que tu fazes é tratar-me mal e isso é algo que eu não suporto.

Tu queres que eu compita. Tu queres que eu fique em primeiro. Tu queres expor os meus prémios. Tu queres que eu faça o que tu querias ter feito, mas nunca o que eu realmente gosto e quero fazer. Eu não quero falar contigo. Mas antes demais, a última coisa que acho que precisas de saber é que eu não sou perfeita.

 

 

Não sentia saudades nenhumas...

Não sentia saudades nenhumas de escrever imenso.

Não tinha saudades nenhumas de ouvir aquela voz estridente dizer "Chamada Orais!".

Não tinha saudades nenhumas de ouvir o meu professor a repetir triliões de vezes a mesma coisa que disse há milésimas de segundos atrás.

Não tinha saudades de ir para a cama às 22:30.

Não tinha saudades de acordar cedo.

Não tinha saudades de alguns olhares que me lançam no intervalo.

Não tinha saudades que me ensinassem a minha vida.

Não tinha saudades da pressão toda em cima de mim.

Não tinha saudades das olímpiadas da matemática e da pressão de ficar sempre em 1º.

Não tinha saudades das aulas de EV.

Não tinha saudades da imposição de um desporto de competição que eu não quero fazer.

Não tinha saudades de ter que ir de calças porque está frio de manhã.

Não tinha saudades de perder horas a ouvir professores a falar.

Não tinha saudades de ter que ficar sempre em primeiro.

Não tinha saudades do aviso a dizer que faltam menos de 15 minutos para o PC encerrar.

Não tinha saudades dos trabalhos de casa.

Não tinha saudades de falar francês.

Não tinha saudades de ter tempo contado aos fins-de-semana.

Não tinha saudades de não ter tempo nenhum.

Não tinha saudades de me cruzar com cobras cascavéis todo o santo dia.

Não tinha saudades de dormir nas aulas.

Não tinha saudades das discussões em casa.

Não tinha saudades de preparar a mochila.

Não tinha saudades de levar o saco de desporto cinzento enorme e pesado.

Não tinha saudades de ter treinos todos os dias.

Não tinha saudades de não poder falar com os meus amigos.

Não tinha saudades da falsidade.

Não tinha saudades de nada disto, mas infelizmente tenho que conviver com isso, não há nada que eu possa fazer para o mudar.

 

Pág. 2/2

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D