Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Ainda não fechei 2016

Ontem despedimo-nos de 2016, no entanto, não me sinto a viver 2017, não ainda. Deixei muito por fazer, muito por dizer, coisas essenciais que provavelmente deveriam ter sido feitas e ditas, mas não foram e não me vou marterizar com isso. 

Decidi fazer este post como se ainda estivesse em 2016, como se fosse o post final de 2016 porque sinto que me faltou algo para me despedir definitivamente deste ano e seguir em frente! Como toda a gente ontem disse que dia 31 de dezembro de 2016 seria a "Page 366 of 366", devo dizer que ontem não a escrevi, deixei-a em branco e vou completá-la agora.

O que melhor para fechar 2016 que rever e explicar o meu ano a partir de 12 músicas que definiram o meu ano, mas antes, clarifico que só o faço porque a música foi a única que ficou aqui para mim e que definiu e acompanhou tudo o que senti ao longo dos 366 dias.

 Janeiro foi marcado pela minha ansiedade a ser descoberta, os meus ataques de pânico todos os dias, esta música foi ouvida por mim neste mês. Esta música dá força logo pelo seu ritmo, mas quando se junta a música tão inspiradora, o resultado é apenas fabuloso. Eu ouvi isto de forma a dizer que não importava o que aconteceria eu iria levantar-me sempre, porque sempre dei a volta, e eu ia lutar até não aguentar mais, e de certa forma... foi o que fiz!

 

 Fevereiro... os meus amigos começaram a deixar-me de parte, alguns pais chamavam maluca e isso doía-me porque aquelas pessoas estavam a ir embora em vez de me ajudar... Isso... deixou-me ainda mais em baixo...

 

 Em Março, quase não apareci nas aulas, apesar de em Janeiro e Fevereiro também não o ter feito lá muito frequentemente, deixei de ir e quando ia ficava raramente porque me mandavam embora. Nesse mês encaminharam-me para uma pedo-psiquiatra e eu comecei a tomar Fluoxetinas, que para quem não sabe, são anti-depressivos. Comecei a esquecer quem eu alguma vez fui, deixei de ser eu, pouco a pouco, não tudo de uma vez, foi lentamente acontecendo...

 

 Abril... foi o mês em que cumpri 14 anos, os que eram supostos serem uns belos 14 anos...

Eu comecei a ouvir esta música porque comecei a ser mesmo, mesmo, mesmo deixada para trás, arrisco-me a dizer que já não tinha amigos nenhuns, foi neste mês que conheci o meu irmão e a minha cunhada, ajudaram-me sempre e foram mesmo os únicos que cá estiveram para ouvir-me. Neste mesmo mês fizeram-me acreditar que ninguém nunca ia gostar de mim e que ninguém gostava de mim, chorei muito mesmo... no fundo, eu queria sentir-me amada por alguém, um amigo, um namorado, alguém e eu não sentia isso...

 

 Em Maio eu deixei de pensar por mim, eu desisti mesmo. O meu espírito crítico deixou de existir, mesmo para escolher roupa, eu não ficava entusiasmada com nada, chorava imenso e não fui às aulas, mais uma vez...

Eu passei a ouvir esta música porque lembro que a única coisa em que eu realmente pensava era como seria se eu morresse, eu inclusive não sabia como é que isto iria acabar e eu queria parar, mas não conseguia.

 

 Junho chegou e eu fiz tanta asneira, eu queria tanto ser uma miúda normal, eu queria tanto ter alguém como elas todas, eu queria tanto viver o que elas viviam que me vendi, vendi-me por tudo isso e foi um erro tão grande, eu fiz tanta coisa estúpida que a única coisa que consegui foi mais pena! Eu não aguentei fiquei mal de vez, pirei, e foi aí que houveram mais medicações, e essas deixavam-me sem pensar, mal acabaram as aulas... os meus pais mandaram-me para o Alentejo com as medicações a pensar que eu ficaria melhor, mas eu não tomava a medicação porque queria continuar a poder pensar, o ambiente era bom eu estava longe de tudo o que me fez mal, mas ainda assim as memórias existiam, no entanto, eu continuava viva eu estava de pé o suficiente para continuar e foi o que fiz!

 

 Em Julho eu comecei a conseguir deixar um pouco do resto tudo para trás, comecei a libertar-me da maldita depressão e um dia percebi que realmente eu até podia ser bonita, foi um mês em que tentei mentalizar-me disso, apesar de não acreditar muito nisso.

 Em Agosto... gostei de um rapaz e como correu? Como sempre, ele brincou com os meus sentimentos, o que realmente me fez achar que o que aquelas pessoas que nem deveriam ser consideradas seres humanos era verdade.

 

 Em Setembro para além de ter ido para uma psicóloga, que continuo a frequentar, resolvi estar a ouvir esta música para me dar a esperança de que eu ia ser amada, e acabou por me ajudar, bastante!

 

 Outubro... problemas com a minha aparência ainda mais elevados, esta música reflete tudo o que eu senti e ainda sinto, tudo o que eu fiz, inclusive. 

 Em Novembro eu ouvi muito esta música porque me ajudava a continuar bem, dava força e tudo o que dizia era verdade e isso ajuda, acreditem que sim!

 

 Dezembro... foi o melhor mês do ano, eu andei muito lovely este mês, como é óbvio pela música, definitivamente isto foi o que senti em dezembro.

 

E agora sim, posso dizer que finalmente, eu fechei 2016, e com certeza, espero que 2017 seja muito melhor.

 

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D