Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Eu estou bem.

Eu estou bem. Eu não tenho nada. Eu não preciso de ajuda. Eu estou bem assim. Eu não me importo.

Já não ouviste isto tantas vezes? Já não disseste isto tantas vezes? Mas cá entre nós, é óbvio que não é assim, isso é o que tu fazes as pessoas pensar, tudo está bem, tu ris-te, sorris, cantas, fazes figurinhas de retardada, tudo isso enquanto estás com os teus amigos, com toda a gente.

E quando estás sozinha? Tu choras, mas está tudo bem, tu não tens nada, começas a ser ansiosa e não precisas de ajuda, estás bem como estás, afinal, tu nem te importas!

Assim é que começa. Há muitas histórias, mas eu hoje venho contar uma em específico e talvez a tua até seja igual.

Há algum tempo atrás havia uma miúda que se adorava a ela própria, ela tinha um estilo engraçado, florzinhas e gatinhos com laçarotes, uma autoestima enorme e ela estava tão feliz assim, ela tinha tudo e era tão feliz...

Mas um dia começaram a gozar com os gatinhos e com as florzinhas, com os laçarotes, fizeram-na acreditar que gatinhos com florzinhas e laçarotes não prestava, que não era nada, não era bom! Entretanto a miúda começou a ser sempre rejeitada, posta em último lugar, acreditava que tinha que mudar para que tudo corresse melhor.

A miúda vestiu-se de preto, usava cabedal e criou outra personalidade, a menina certinha e ingénua virou rebelde, baldas e talvez as pessoas fossem gostar mais dela! No entanto, as rejeições continuavam e começaram os insultos, mas ela dizia que ignorava, que não importava, que respondia e ficava por ali. Chegou ao ponto de andar sempre com a cabeça para baixo e de uma metade da cara tapada, ela queria que as coisas acabassem.

Houve uma altura que ela começou a ter ansiedade e ninguém compreendia porquê, gozaram com ela, onde estava a autoestima? E a personalidade? Não estava. Mas depois houve o dia que foi a gota de água, o dia da mal-amada. Foi o dia de choro compulsivo, então de tantas idas ao hospital ela acabou sem internet quase nenhuma, sem amigos, sem aulas, sem nada, apenas anti-depressivos que faziam com que ela não pensasse, e caso tivesse crises davam-lhe um muito forte para dormir.

As pessoas tinham medo que ela se matasse, então davam-lhe comprimidos desses, para ela sempre foi muito complicado, chorar era rotina, sabem porquê? Porque ela se estava a partir. E nesse momento, só esta música consegue retratar:

 Ela começou a pensar como seria se ela já tivesse morrido, tudo seria melhor, ela não faria falta a ninguém porque ninguém gostava dela, porque ela era nada, ela não prestava! Mas por alguma razão ela persistiu em viver, se bem que ela estava a sofrer, mas ela começou a melhorar do nada, pequena conquista por pequena conquista. E aquele pensamento de morrer parou, os pensamentos destes acabaram:

 Não ligues a quem nunca passou por nada parecido, porque no fundo ninguém sabe o que é, eles não sabem o que é. Fala com alguém que não te julgue, fala com quem passou pelo mesmo que tu ou identico, porque esses podem ajudar-te.

 Essa miúda está a sair da depressão, ela está realmente a melhorar, e sabes que te digo? Tu consegues fazer o mesmo. Não deixes que te convençam que és nada, não deixes que te façam acreditar que gatinhos e florzinhas são nada, porque são lindos. Eu sei, é fácil falar mas fala sempre com as pessoas mais próximas acerca disso e vais ver que vai melhorar, não guardes tudo para ti. Tu és boa o suficiente.

E tu? Já estás convencida que há coisas que não valem a pena sofrer? Pede ajuda, nós estamos aqui para ti sempre! E se conseguires ultrapassar podes gritar ao mundo que estás viva, canta, grita!

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D