Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Sou como sou

Romance é algo que nunca percebi. Pode ser algo "muito bom, maravilhoso" (just quoting), mas nunca percebi para que realmente serve.

Não gosto de romance, não faço questão em viver qualquer tipo de romance, quero apenas a minha vida, mas eu não quero amores e nem meios amores, não alinho nisso.

Não gosto muito de certas demonstrações afetuosas (não me incomodo com os outros, incomoda-me quando é comigo), não gosto de misturas. Chamem-me negativa, insensível, amargurada, ressabiada, acreditem que já me chamaram disso tudo e muito mais.

Eu sou realista, podem dizer até cruelmente realista, eu não tenho medo de dizer às pessoas que estão constantemente a dizer-me que "Daqui a uns anso falamos" que não quero e não faço, que prefiro estar sozinha que viver agarrada alguém e deixar de ter a minha livre vida.

Se já falaram comigo sobre isto e eu não vos disse nada disto, significa que é por gosto mesmo muito de vocês, caso contrário, tinham levado uma má e nada boa e agradável de ouvir resposta.

Prefiro ficar como estou que me magoar, prefiro ficar sozinha, é raro deixar que a corda estique demasiado, prefiro assim. 

Respeito todos os que são a favor de romance, mas eu não sou uma dessas pessoas, nunca na vida quis ou pensei dizer certas coisas, isso não é para mim.

 

Ela é linda

Mais uma vez surpreendi-me com as pessoas por aqui, a conclusão qe tirei delas é que precisam urgentemente de óculos bem graduados, e no caso de já os terem, irem ver porque não é suficiente a graduação.

Não me acho uma pessoa bonita, apesar de nem todos à minha volta serem da mesma opinião, por exemplo, tenho amigos e amigas minhas que dizem que sou bonita, por outro lado na escola sou considerada feia. 

Não estou acostumada de todo, a que as pessoas digam que eu sou bonita, mas no momento em que entrei naquele local, só ouvia pessoas a dizerem que eu era linda e que era bonita e que tinha bom gosto e tudo mais. 

Eu não me considero nenhuma das coisas, não me sinto nada daquilo que disseram que era. Gente a admirar a roupa que eu levava, fiquei deveras confusa com toda esta adoração por mim.

No fundo senti-me um bocado observada, por dançar daquela forma, por falar daquela forma, por outro lado senti-me algo que não me sentia há muito, muito tempo: fascinante.

As pessoas pareciam observar-me pelas atitudes que tinha, o facto de ter ido lidar com uma criança, de ter dançado com ele (neste caso era um rapaz com uma doença), o facto de não o ter ignorado e de o ter olhado de lado, senti-me uma pessoa fascinante por alguns momentos. A minha dança, a minha conversa, o meu espírito, senti que as pessoas se fascinavam.

No entanto, houve coisas que me chamaram à atenção, e uma delas foi o facto e a forma como eu olhava para as pessoas. Eu sou conhecida por ter um olhar penetrante, eu olho para as pessoas de uma forma diferente. Muitos dizem que o meu olhar intimida por eu olhar nos olhos das pessoas fixamente como se pudesse ler-lhes a alma, e ainda por cima os meus olhos são escuros.

Não sei se é por esse motivo que toda a gente olha para mim, se prestam atenção, não faço  mínima ideia, só digo que discordo completamente.

 

Os meus vícios e caraterísticas

Hoje já falei em perdições, mas tenho de falar também dos meus vícios, das minhas manias!

 

1. Roer as unhas: Estou sempre a roer as unhas, não importa onde e nem quando. Pode ser na escola, em casa, quando estou nas aulas, no intervalo, em todo o lado e em todas as ocasiões!

 

2. Roer os dedos: Infelizmente, eu não me fico pelas unhas, eu vou também aos dedos. Por exemplo, se tenho uma pele eu vou e tento arrancá-la, ao arrancá-la sai-me um montão de pele e começo a sangrar.

 

3. Fazer tranças: Mesmo depois de ter cortado o cabelo eu sou viciada em fazer tranças, pego nas mechas de cabelo à frente e começo a fazer tranças!

 

4. Desarrumar tudo: Eu sou uma desorganizada e não sei como faço para certas coisas! Por exemplo, arrumo a secretária e em menos de nada já está toda desarrumada, talvez porque desfaço a pasta e ponho os livros em cima da mesa, por causa de por mais folhas na capa, por por o computador por cima dos livros todos...

 

5. Saír sempre muito cedo: Não sei como e nem porquê, mas eu estou sempre a saír muito cedo, nomeadamente para as aulas, saio para aí uns 40 minutos antes da hora.

 

6. Chegar sempre tarde: Irónico e o cúmulo disto tudo, é que apesar de saír cedo, chego muitas vezes tarde!

 

7. Nunca andar de guarda-chuva: Sim, eu prefiro apanhar chuva pela cabeça abaixo que usar um guarda-chuva, lembro-me que uma vez cheguei a casa com o cabelo e a roupa tão molhados que parecia que tinha tomado banho vestida. Os meus amigos não estavam diferentes, nesse momento acho que andar sem camisola e com camisola era a mesma coisa, a t-shirt era fininha e branca, molhada notava-se o sotien na mesma. Qundo cheguei a casa torci a roupa e o cabelo e parecia uma cascata.

 

8. Partir os guarda-chuvas mais inquebráveis: Outro cúmulo, talvez eu não ande de guarda-chuva porque estou sempre a partir todos os guarda-chuvas. A senhora dos guarda-chuvas fica surpreendida em eu partir o guarda-chuva inquebrável que ela tinha (não era inquebrável porque eu consegui).

 

9. Ser esquecida: Sou imensamente esquecida. Esquecço-me de tudo. Podem dizer-me para ir buscar uma taça, chego à cozinha e já não sei o que é que venho buscar!

 

10. Ser rebelde: Confesso que sou bastante rebelde, faço o que quero e se me apetece, por vezes respondo tão mal que até me dizem que fui mal criada, quando na verdade não foi bem assim, só dei a resposta que a pessoa merecia e fui fria!

 

Temos alguma coisa em comum?

 

 

#1 Eu Amo, Eu Odeio

Esta nova rubrica não vai ter imagem de marca porque creio que é desnecessário, afinal eu ou falar em variados temas, não apenas num em específico.

Vou começar com um Eu Amo:

 Sim, eu sou super-hiper-mega-dorminhoca, detesto que me acordem e especialmente das seguintes maneiras:

  1. Ligando-me, é a pior coisa que me podem fazer porque eu passo-me, só me apetece atirar o tele contra a parede (o que não era lá muito boa ideia)
  2. Abrindo-me a preciana (nesses momentos sinto-me como o conde Drácula), odeio porque a luz me faz doer os olhos (talvez seja descendente de algum morcego e não saiba)

Agora venho com um Eu Odeio:

 E não é só cozido, eu odeio peixe no geral, mas os meus pais ainda insistem, não percebo porquê, ou melhor, até percebo mas faz de conta. Eu sei que nós temos de ter uma alimentação equilabrada e o peixe tem bastante fósforo e ajuda a baixar o colestrol, além de que ajuda ao controlo das doenças cardiovasculares, mas mesmo assim... eu não gosto e não consigo!

E vocês também são como eu nestes aspetos ou temos alguma parecença?

 

 

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D