Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

Lost in a Cloud

Be simple. Be original. Be yourself.

O entusiasmo excessivo de uma criança é doloroso

Eu não sei se vos acontece, pessoas que têm irmãos, mas a minha irmã já instalou aplicações de Regresso às Aulas e está a contar os dias para que a escola regresse.

Enquanto isso, estou eu a morrer por ouvir falar nesse acontecimento futuro, mas simplesmente a desfrutar destes meses de férias de que preciso imenso.

Boas férias a todos, e para o bem da comunidade, não fiquem ansiosos demais, é doloroso...

É oficial as crianças adoram-me!

Yup, eu sei que é estranho, visto que eu não sinto lá muito o mesmo por elas. Eu não gosto de crianças porque me trazem más memórias, no entanto, elas parecem adorar-me!

Vou ao super-mercado as crianças olham para mim maravilhadas, as filhas das amigas da minha mãe ide em aspas, aspas ide. Todas as crianças têm um fraquinho por mim e eu nunca consegui perceber o porquê.

No entanto houve algumas que me marcaram, as que me abraçaram do nada, essas crianças marcaram-me. Ano passado, lá por Agosto, o meu primo bebé esteve por aqui, ele babavasse mal me via, ele sorria, começava a espernear porque queria o meu colo.

A filha de uma das melhores amigas da minha mãe (que eu conheci no outro dia), estava a vida toda a meter-se comigo, mas o que mais me toca são aquelas crianças que me abraçam, essas apanham-me desprevinida e são doces comigo.

Acho que com o tempo eu vou gostando mais de crianças, percebi que já nem todas são tããããooo maldosas como as que em tempos conheci, há crianças doces, simpáticas e divertidas que me aceitam e gostam de mim como sou.

Definitivamente, estas crianças de hoje em dia até me aceitam e são doces, gostam de mim e eu fico feliz por isso, posso dizer que houve algumas vezes que me emocionei com certos atos que eles fizeram.

 

As crianças crescem cada vez mais rápido

Sou adolescente, é verdade, no entanto, eu tenho olhos na cara e gosto de observar o mundo à minha volta. Cresci a ouvir miúdas de 16 anos dizerem-me que nós cresciamos muito depressa, demasiado depressa, aliás. Nunca consegui compreender o que se queria dizer, porque é que raio eu cresci demasiado depressa?

Finalmente, depois de uns anos (quatro anos), eu consigo compreender o que elas me queriam dizer. Eu não tenho 16 anos, tenho 14, mas a realidade é que tudo o que eu achei que fosse demais não é.

Eu sou adolescente, tenho as hormonas aos saltos e a ferver (como todas as adolescentes, ou quase todas), sou rebelde, quero fazer tudo o que me apetece sem ligar minimamente ao que os outros pensam, não confundam rebeldia com delinquência, porque não é. Eu sou educada com as pessoas, a menos que elas não o sejam comigo, aí esqueçam.

No entanto, eu olho para amigas minhas mais novas e elas falam de coisas que eu falo agora, não falo de miúdas com 13 anos, mas de idades abaixo dos 13. Eu na altura sabia que existiam, mas não falava. 

Basta olhar para dentro de casa, a minha irmã. Ela tem 8 anos (quer dizer, é o último dia dela com 8, por isso vamos considerar que tem 9), veste roupas que eu própria não visto, quer usar roupa como eu uso, quer-se maquilhar, quer fazer tudo o que eu faço. Ela não quer que mandem nela, ela é a única que sabe, e eu ponho-me a pensar que agora as crianças crescem demasiado rápido.

Com 8 anos eu andava a dançar e a saltar à corda, fazia castelos de areia, usava franjinha e fazia totós e trancinhas, hoje (é como quem diz), eu vou buscá-la à escola e vejo miúdas da idade dela e mais novas a usarem tops, andarem com o cabelo todo liso, umas unhas enormes e todas arranjadas, uns microcalções, que são tão curtos que até eu tenho cuecas que tapam mais que aquilo, vejo miúdas assim.

Eu pergunto-me como é que é possível as coisas estarem assim, miúdas mais novas que eu a andarem a comer rapazes mais velhos, a esfregarem-se neles, é tudo uma corrida para ver quem perde a virgindade primeiro. Isto não faz sentido nenhum!

Eu sou contra tabús, sou contra tudo o que tentam tapar com paninhos quentes para ficar tudo cor-de-rosa, sou contra e ponto. Mas eu penso que isto é demais, há idade para tudo, e não faz sentido uma criança andar assim.

Este mundo está cada vez pior...

 

Quem está deste lado?

Uma adolescente com os seus consistentes 15 anos que sobrevive às adversidades do dia a dia, acompanhada do seu blog, onde conta as suas peripécias e aventuras.

Estudante de secundário durante o dia, blogger durante a noite. Uma apaixonada pela escrita de todo o tamanho. Pensadora nata. Eterna sonhadora.

Para muitos um livro aberto, para outros um mistério por resolver.

Intrigado? Fica por estes lados e talvez desvendes o mistério.

Apresentação Visual

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D